17 de março de 2012

Kony 2012 + UNICEF

Já falamos aqui sobre a campanha KONY 2012, agora é a vez de divulgarmos o que o UNICEF pensa sobre isso... afinal, provavelmente você já assistiu o vídeo ou usou a tag #KONY2012 nos seus tweets.

O UNICEF aponta três coisas que precisamos saber sobre esse grande e importante conflito que envolve crianças.

UM: Não se trata de apenas uma criança ou um lugar.

O abuso de meninos e meninas durante conflitos armados é m problema global. Hoje, uma estimativa de 250 mil crianças são associadas à forças armadas ilegais em pelo menos 20 países ao redor do mundo.


Essas crianças perdem seus direitos e infância quando são recrutados para servir em grupos rebeldes, como: combatentes, cozinheiros, mensageiros. Meninas sofrem com a violência sexual. Ainda que alguns sejam recrutados contra a própria vontade, há os que se juntam aos grupos de conflito como resultado de ma pressão econômica, social ou mesmo política. O impacto que essa situação causa na vida dessas crianças é assustador.


Capturar UM HOMEM não vai resolver o problema. Joseph Kony, como muitos outros na história não teriam feito o que ele já fez – e continua fazendo – se não fosse com o consentimento e de certa forma ajuda de outros.

DOIS: Precisamos ajudar essas crianças agora e previnir novos abusos.

Prevenção – o UNICEF trabalha para divulgar e fortalecer leis que proíbam o recrutamento e o uso de crianças por grupos armados e implantem programas que protejam as crianças da violência, principalmente a violência sexual.


Libertação – O UNICEF trabalha para libertar crianças de grupos armados o mais rápido possovel, ainda que durante um conflito. Desde 1998, mais de 100 mil crianças já foram resgatadas e reintegradas em suas comunidades em 15 diferentes países afetados por conflitos armados. Em 2011, só o UNICEF reintegrou cerca de 11.400 crianças que estavam associadas à grupos armados e conflitos.


Reabilitação – O UNICEF apoia serviços que cuidam da saúde mental e física, e do bem estar das crianças afetadas por conflitos. Tudo isso através de projetos que acrescentam coisas positivas, como: educação, formação vocacional e meios de subsistência.


Reintegração – O UNICEF usa sua proximidade com a sociedade para apoiar crianças mais vulneráveis que foram afetadas durante conflitos, promovendo uma reintegração na sociedade sem discriminação. Essas ações são ações de longo prazo não só para as crianças, mas também para a comunidade.

TRÊS: Nós todos temos um papel a ser cumprido.

Um organização SOZINHA não consegue acabar com o abuso e exploração que acontecem durante um conflito.


O UNICEF trabalha com governos, ONGs e outros grupos para erradicar essas atrocidades infantis. Por todo o mundo, crianças que sofrem as consequências de conflitos estão mostrando extrema coragem e sua voz. Crianças que já pertenceram à grupos armados, depois da reabilitação estão trabalhando junto ao UNICEF buscando atenção para esses soldados mirins e crianças afetadas por esses conflitos.

*****

O que podemos fazer agora?? DAR A MESMA ATENÇÃO QUE ESTAMOS DANDO QUANDO DIVULGAMOS O VÍDEO PARA QUE KONY SEJA CONHECIDO.

As crianças que sofrem com esses abusos merecem a mesma atenção que os responsáveis por esses abusos.. ou seja, denunciem e colabore para que mudanças aconteçam!

Fonte: FieldNotes



Nenhum comentário:

Postar um comentário